Portal de Eventos do IFSP Tupã, 1º Congresso sobre Ambiente, Tecnologia e Educação

Tamanho da fonte: 
O uso de plantas medicinais entre pais de alunos do IFSP – Câmpus Tupã
Fanley Bertoti Cunha, Gabriel Eduardo Ceolin Vieira

Última alteração: 2018-12-19

Resumo


A etnobotânica procura estudar e compreender a relação entre as plantas e os seres humanos, investigando como essa relação tem se estruturado ao longo do tempo, reunindo saberes de diversos ramos do conhecimento humano (Ford, 1978). O objetivo do presente trabalho foi realizar um levantamento etnobotânico junto aos pais dos alunos matriculados nos cursos integrados de Eletrônica e Eletrotécnica do Instituto Federal – Câmpus Tupã para conhecer quais plantas são mais utilizadas por esse grupo. Para a realização do levantamento utilizou-se de um questionário que os pais presentes na reunião de pais do 2º bimestre responderam de forma espontânea. No total 26 pais responderam ao questionário e os resultados foram tabulados e discutidos. De forma geral, o uso de plantas medicinais acontece como tratamento coadjuvante ao tratamento da medicina convencional e são utilizadas plantas já conhecidas e tradicionais. As plantas mais citadas pelos pais foram a hortelã, a cidreira, o boldo e a erva-doce. A forma mais comum do uso é através do uso de chás, mas também através de emplastros, unguentos e adicionado à alimentos. A maioria também assinalou que o conhecimento do uso foi transmitido de uma geração para outra, principalmente a partir de pais e avós. O uso dessas plantas é ainda recorrente por uma parte de população e é necessário um maior conhecimento sobre os efeitos desse uso, inclusive para se evitar efeitos indesejáveis e abusos.


Texto completo: PDF