Portal de Eventos do IFSP Tupã, 1º Congresso sobre Ambiente, Tecnologia e Educação

Tamanho da fonte: 
A Educação Ambiental: redução, reutilização e reciclagem de Resíduos Sólidos na Etec Bartolomeu Bueno da Silva - Anhanguera
Anderson Marioto Marioto, Alana Matias Rego, Fabiana Anjos Dos Santos, Felipe Valerio Lima, Isis Lara Roose, Jade Silva Paes

Última alteração: 2018-09-18

Resumo


O trabalho que segue é fruto de práticas pedagógicas desenvolvidas no âmbito das aulas na Etec Bartolomeu Bueno da Silva – Anhanguera, localizada no município de Santana de Parnaíba na região metropolitana de São Paulo. É um desdobramento direto de parte avaliativa do componente curricular de Geografia do 1° ano do ensino médio integrado ao médio de logística. Das discussões e propostas de intervenção na unidade escolar que levou em consideração práticas que contribuíssem para uma escola mais preocupada com o meio ambiente, e, principalmente, com o descarte de seus próprios resíduos, surgiu a proposta de se reciclar o papel utilizado.

Sendo muito o material utilizado, num primeiro momento se pensou na utilização das folhas recicladas na produção de postit. Desse uso, feito com sucesso pelos discentes envolvidos no projeto, surgiu a necessidade de se pensar outros usos e utilidades ao material reciclado, e a ideia, desta vez, foi a de produzir material informativo que desse conta de esclarecer aos discentes e docentes práticas que facilitassem o andamento do dia-a-dia das atividades.

A metodologia utilizada para o desenvolvimento do projeto foi realizada em etapas, entretanto respeitando o tempo livre entre uma aula e outra. Reuniões, oficinas de preparo do material e também dos informativos, foram as principais atividades, além claro da própria metodologia aplicada no recolhimento e reaproveitamento do papel utilizado na unidade escolar, e que será aqui apresentado.

Os principais resultados alcançados foram: a criação de uma cultura de práticas sustentáveis na escola, envolvendo direta e indiretamente discentes, docentes e funcionários da unidade escolar. Um repensar das nossas práticas e impactos ambientais para além dos muros da escola e, construir um pensamento crítico perante o próprio conceito de impacto ambiental e os limites do termo sustentabilidade dentro dos encadeamentos cotidianos do sistema capitalista de produção.